Recursos Financeiros para Empresas

BNDES:Investimentos fixos, reformas e construções, aquisição de bens e equipamentos, máquinas, veículos, capital de giro associado ao investimento fixo, dentro outras.

BDMG: Investimentos fixos, reformas e construções, aquisição de bens e equipamentos, máquinas, veículos, capital de giro associado ao investimento fixo, dentro outras.

BANCOS PRIVADOS:Capital de giro.

FINAME:Aquisição de máquinas, equipamentos e veículos, dentro outros

ACC:Adiantamento do contrato de câmbio

ACE:Adiantamento cambial entregue.

Assessoria e Consultoria

Principalmente, analisar a viabilidade econômica do projeto de modo antecipado, a fim de evitar a perda de tempo e falsas expectativas.
Avaliar toda a documentação da empresa, apresentando, se necessário, as devidas correções.
Identificar a melhor linha de crédito e o melhor agente financeiro.
Confeccionar o Plano de Negócios adequado às particularidades de cada agente financeiro.
Acompanhar todo o processo, em suas etapas, até a liberação dos recursos.

Documentação prévia para Análise

Empresa:
- CNPJ
- balanço dos últimos 3 anos (analítico e sintético)
- balancete ano (3 meses de defasagem máximo)
- relação de faturamento mês a mês dos últimos 3 anos.
- Certidões negativas – 3 fazendas FGTS e INSS.
- relação de máquinas e equipamentos.
- DIPJ completa entregue
- Alvará de Localização
- Licença Ambiental (se for o caso)
- Abertura do endividamento bancário, com nome do banco, telefone, linha tomada, valor tomado, prestação, prazo, saldo atual.
- relação de bancos, com telefone e nome do Gerente os quais mantém relacionamento.
- Recibo da Rais
- Ultima alteração contratual consolidada

Sócios:
- Carteira de identidade, CPF, comprovante de endereço (máximo 60 dias), IR completo, se o sócio for casado, CI e CPF do conjugue e certidão de casamento, se for separado, certidão de casamento com averbação da separação.

Empresas do Grupo
- CNPJ
- balanço dos últimos 3 anos (analítico e sintético)
- Certidões negativas 3 fazendas – FGTS, e INSS.
- Relação de faturamento mês a mês dos últimos 3 anos ou do tempo da empresa
- DIPJ completa entregue
- Abertura do endividamento bancário, com nome do banco, telefone, linha tomada, valor tomado, prestação, prazo, saldo atual.
- Recibo da Rais
- Útima alteração contratual consolidada

Porte de empresas

A classificação de porte de empresa adotada pelo BNDES e aplicável a todos os setores está resumida no quadro a seguir:

Classificação
Receita operacional bruta anual
Menor ou igual a R$ 2,4 milhões
Maior que R$ 2,4 milhões e menor ou igual a R$ 16 milhões
Maior que R$ 16 milhões e menor ou igual a R$ 90 milhões
Maior que R$ 90 milhões e menor ou igual a R$ 300 milhões
Maior que R$ 300 milhões

Entende-se por receita operacional bruta anual a receita auferida no ano-calendário com:

  • - o produto da venda de bens e serviços nas operações de conta própria;
  • - o preço dos serviços prestados; e
  • - o resultado nas operações em conta alheia, não incluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos.

Na hipótese de início de atividades no próprio ano-calendário, os limites serão proporcionais ao número de meses em que a pessoa jurídica ou firma individual houver exercido atividade, desconsideradas as frações de meses. Nos casos de empresas em implantação, será considerada a projeção anual de vendas utilizada no empreendimento, levando-se em conta a capacidade total instalada.Quando a empresa for controlada por outra empresa ou pertencer a um grupo econômico, a classificação do porte se dará considerando-se a receita operacional bruta consolidada.

Entes da administração pública direta não são classificados por porte. Para fins de condições financeiras serão equiparados às grandes empresas.
As pessoas físicas não empresárias são equiparadas, quanto ao porte, conforme sua renda anual, às categorias da classificação de porte de empresas.
Para as empresas média-grandes serão aplicadas as mesmas condições das grandes empresas, ressalvadas as disposições em contrário.
A classificação do porte das empresas foi definida nas circulares nº 11/2010 (PDF – 25 kB) e 34/2011 (PDF – 153 kB).